quarta-feira, 30 de outubro de 2013

JACQUES ROBERT NO BRASIL

Entre 1872 e 1873 partiu do porto de Marselha na França, o vapor “Le Bordelais”. A bordo estava a família Robert, que se dirigia à cidade de Curitiba (a confirmar, não encontrei listas de embarque e desembarque).

na verdade "Le Bordelais", acervo do Arquivo Público do Paraná

A primeira referência de Jacques Robert em Curitiba é de setembro de 1873, no Livro-caixa da Colônia Argelina, ou seja, nesta data,com certeza, ele já estava no Brasil.



O único documento encontrado no Arquivo Público do Paraná que cita o vapor "Le Bordelais" é referente a uma viagem realizada em final de 1872 com colonos franceses para a colônia Assunguy (Cerro Azul). Jacques pode ou não ter feito essa viagem. Penso na possibilidade dele ter sido relocado para Curitiba na sua chegada ao Brasil (a confirmar).




Todos os documentos fazem parte do acervo do Arquivo Público do Paraná.
Em 12 de setembro de 1872 estava atracada no porto do Rio de Janeiro a barca Bordelais vinda de Marselha sob comando do capitão D. Gorlandris, veja aqui. Será esta barca nesta viagem que trouxe a família Robert para o Brasil ?
Jacques e Marie Louise Robert sairam de Saint-Etiènne e chegaram em Curitiba com  três dos quatro filhos que tiveram na França: 
  • O mais velho, Leonard  com 9 anos,
  • Caroline com 8 anos (a outra gêmea, Marie Catherine, não veio ao Brasil),
  • o pequeno Joseph com 2 anos.
A pequena Marie Catharine, gêmea de Caroline, provavelmente faleceu antes de chegar em terras brasileiras. Não encontrei seu óbito em Saint-Etiènne, a menina pode ter falecido em Marseille ou mesmo à bordo, coisa bastante comum.

Jacques não veio  espontâneamente para o Brasil, ou seja, ele não imigrou por conta própria. Ele foi engajado na Europa e veio com um contrato pré-acertado que incluia a aquisição de um lote de terras e alguns itens para trabalho na lavoura, nesse caso na Colônia Argelina, em Curitiba.

Minha mãe contava que Jacques Robert veio acompanhado com um irmão, será este ? Assunto a pesquisar, Colonos cujo destino se ignora. Arquivo Público do Paraná, livro códice 421 (1874).



Quando Jacques chegou ao Brasil a regulamentação da imigração era feita pelo Decreto 3784, de 19 de janeiro de 1867. Para ler o decreto na integra, clique aqui.




Para saber um pouco mais sobre o que é uma "colônia", seus objetivos e estruturas, clique aqui.

Assim era Curitiba em 1863, 10 anos antes da chegada da família Robert:


Em 1863 possuia apenas 242 casas sendo 10 de sobrado, a rua do Commércio (vertical, a esquerda) é a atual Mal. Deodoro.



segunda-feira, 21 de outubro de 2013

CONTINUANT à RIVE-DE-GIER, PAVEZIN, ESTIVAREILLES et .....

Saint-Etiènne recebeu gente de vários cantos da França. Além dos Coste, vindos do departament de la Corrèze, vieram os Robert de Rive-de-Gier e antes disso de Estivareilles e os Lachal de Pavezin. Assim, outros locais devem ser acrescentados a esse passeio.



Andanças da família Robert: :

Estivareilles >  Grèzieux (Lorette/Rive-de-Gier) = ~60 km.
Grèziuex > Saint-Etiènne = ~20 km.

Andanças da família Lachal (de Antoinette, mãe do imigrante Jacques Robert) :

Lachal > Pavezin = ~20 km.
Pavezin > Saint-Etiènne = ~36 km.

Começando por Lorette e procurando conhecer Grèzieux, o bairro em que nasceu Jacques Robert.

Algumas fotos de Lorette : aqui e aqui


Planta de Rive-de-Gier no início do séc XX (~1900), acervo do Archives Municipales de Rive-de-Gier. 


Acervo dos Archives Municipales de Rive-de-Gier

Estivareilles fica a apenas 60 km de Lorette (Grèzieux), de lá vieram os  avós paternos de Jacques Robert, Antoine Robert e Elisabeth Bonnetton. Atualmente conta 617 habitantes. Em Estivareilles, a família residia no lugar Viviers.


Para saber sobre Estivareilles clique aquiaqui e aqui.

A família Brouillet, da esposa de Jacques Robert (*1750-+?), Izabeau ou Elizabeth Brouillet, era de Saint-Nizier-de-Fornas, veja aqui.

Pavezin  fica a leste de Saint-Etiènne, pequena vila que atualmente conta com cerca de 300 habitantes. De lá é o avô materno de Jacques Robert, o pai de Antoinette Lachal. Os Lachal (ou Delachal) eram do lugar Chez Colombet e os Larderet do lugar Servinieu.




A vila está localizada dentro do Parc natural regional du Pilat. Também dentro do parque situa-se a bela vila de Saint-Croix-en-Jarez, que atualmente é um município independente e foi até 1888 parte de Pavezin.

Para saber sobre a Pavezin, clique aqui e aqui.
Para fotos, clique aqui e aqui.

Saint-Croix-en-Jarez, faz parte das 156 mais belas vilas da França de acordo com a associação Les plus beaux villages de France. Para saber mais clique aqui.

Os ancestrais de Charlotte Verchara, mãe de Marie Louise Coste, passaram por Saint-Chamond e Malleval localizadas no Department de la Loire e também por Saint-Marcellin, Saint-Sauveur e Saint-Antoine-l'Abbey em Isère. 

Para conhecer os ancestrais de Charlotte Verchera, clique aqui. Saint-Antoine-l'Abbey, está listada entre um dos plus beaux village de France, leia aqui.



Foto daqui.